Se você tem interesse em visitar Coimbra, com certeza o ideal é ter algum conhecimento sobre as Repúblicas Estudantis, que há por lá, e aprender um pouquinho a respeito de sua história. Tenho certeza ,que com esse conhecimento, você entenderá melhor a evolução que as repúblicas sofreram no decorrer dos anos e perceber uma parte importante do espírito de Coimbra.
Considerada a capital do saber, Coimbra tem a 3° universidade mais antiga de toda a Europa, com uma biblioteca ímpar, decorada com cuidado e zelo, onde todo o seu mobiliário é feito de madeira brasileira. Claro, não poderia ser diferente, com essa preocupação dedicada ao saber, Coimbra tem como meta, oferecer ao estudante, não só a melhor educação, mas também conforto e bem-estar. Em Portugal, as repúblicas ou solar de estudantes, como também são chamadas, são obrigatórias por lei.
Na verdade, essa idéia de agrupar estudantes em uma comunidade, surgiu no século XVI, na cidade de Coimbra, quando D Dinis construiu casas para estudantes, mediante um pagamento de um aluguel. Engraçado pensar nisso e nos estudantes de nosso país, que compartilham dessa idéia antiga, residindo com colegas. Hoje em dia, ainda que com uma roupagem diferente, dando um ar mesmo de moderno, clamando uma independência, que pensam ser frutos conquistados no século XXI, eles vivem em Repúblicas Estudantis, similares as de séculos atrás.
Bem, na época do monarca, D.João III houve a construção de doze casas, que tinham onze divisões, com uma sala em comum. O monarca visava amenizar as carências dos estudantes, em sua maioria vindos de longe e assim afastados da convivência com os seus familiares. Segundo ele, vivendo em comunidade, eles poderiam interagir uns com os outros, criar laços de amizade, solidariedade e ajudarem-se entre si. Na verdade, essa idéia já vinha de séculos passados, mas D.João III a aprimorou, ele queria que fosse dado aos estudantes acesso a mantimentos também. Estes eram constituídos de carne, pescado, pão e outros que considerava necessário para uma boa nutrição.
Essa organização não tinha fins lucrativos, os estudantes pagavam apenas um pequeno aluguel por sua estadia.
Atualmente, em Coimbra existem diversas delas. Algumas são destinadas aos homens, outras as mulheres. Em sua maioria, elas estão agrupadas no Conselho de Repúblicas. No Brasil, por influência portuguesa no Reinado de D.Pedro II, elas começaram a se formar na cidade de Ouro Preto, Minas Gerais, cidade esta, universitária. As primeiras repúblicas eram bem similares as de Coimbra, também se cobrava um aluguel e as casas pertenciam a escola.Hoje em dia, em alguns países, como o Brasil, por exemplo, há diversas, que não têm nenhum vínculo com a instituição de ensino.Os estudantes dividem não só casas, mas apartamentos também e as despesas são pagas por suas famílias aos proprietários das moradias..
Quando em Coimbra, vale à pena espreitar essas casas Repúblicas que fazem parte importante de formação dos estudantes, na constituição de um cidadão integro, conhecedor de seus deveres e contribuições perante a sociedade.